Pular para o conteúdo
Início » Como manter seu dinheiro seguro utilizando boletos bancários online

Como manter seu dinheiro seguro utilizando boletos bancários online

Como manter seu dinheiro seguro utilizando boletos bancários online

Apesar do grande sucesso do PIX, o boleto bancário segue sendo uma alternativa bastante popular de método de pagamento entre brasileiros. Contrariando muitos especialistas, os quais condenaram o boleto à obsolescência, ele ainda permanece como um dos meios de pagamentos mais populares no Brasil.

A seguir, explicaremos como funciona o boleto bancário, que continua sendo um dos meios de pagamento mais seguros em 2024.

A história do boleto bancário

Você já parou para pensar como as pessoas faziam para pagar suas contas de consumo quando a informatização e a Internet ainda nem sonhavam em existir? Quando observamos o passado, percebemos o quanto os sistemas de pagamentos evoluíram até os dias atuais, nos economizando um grande tempo comparado com os tempos dos nossos avôs e bisavôs.

E a evolução dos pagamentos tem muito a ver com a história do boleto.

Como eram feitos os pagamentos antes da década de 60

Novamente fazendo um paralelo com o PIX, o boleto bancário causou uma revolução na forma como os brasileiros faziam seus pagamentos, pois até a década de 1960, o sistema bancário não estava interligado com as concessionárias de água, energia, telefone, entre outros fornecedores de serviços essenciais no Brasil.

Ou seja, nossos avós e bisavós tinham que ir a cada guichê das respectivas companhias para efetuar os pagamentos, o que convenhamos, poderia tomar algumas boas horas ou até um dia inteiro considerando os deslocamentos, filas etc.

O desenvolvimento do que conhecemos hoje como boleto

A partir dos anos 60, isso começou a mudar, pois passou a ser possível efetuar tais pagamentos em banco, o que já era o início do que conhecemos hoje como boleto bancário, o que trouxe praticidade, pois uma ida ao banco já poderia resolver o pagamento de muitas contas simultaneamente.

Nas décadas seguintes, órgãos públicos e empresas privadas também começaram a firmar convênios com os bancos para centralizar e facilitar suas cobranças. 

Os anos 90: lançamento do boleto bancário atual

Em 1993, o Banco Central do Brasil instituiu uma normativa que estabeleceu o boleto bancário da forma que conhecemos atualmente, viabilizando o sistema eletrônico de cobranças através de código de barras.

Com o avanço da tecnologia, a comodidade para os clientes evoluiu partindo da possibilidade de não necessitar mais esperar por um caixa do banco, podendo fazer seus pagamentos através de um terminal eletrônico no próprio banco e com o avanço da informatização, através dos sistemas Internet Banking.

Já nos últimos anos, com os smartphones, a praticidade cresceu ainda mais, pois atualmente basta fazer a leitura de código de barras ou colar os números da linha digitável para fazer rapidamente o pagamento. Uma evolução e tanto, não?

Como funcionam os boletos bancários?

Se pararmos para analisar, chega a ser curioso como um pedaço de papel (ou digital) com código de barras. Confira os principais campos que compõem um boleto bancário: 

  1. Sacado: pessoa ou empresa responsável pelo pagamento. Em documentos registrados, precisa vir com CPF ou CNPJ; 
  2. Cedente: empresa ou pessoa emissora do boleto;
  3. Código do cedente: número da conta bancária do emissor;
  4. Valor do título: valor da cobrança incluindo duas casas decimais;
  5. Vencimento: data limite para pagamento do boleto (sem juros e multa caso aplicável)
  6. Juros e mora: caso previsto, valor e/ou percentual cobrado pela cobrança paga com atraso;
  7. Linha digitável: é a sequência numérica localizada no topo do boleto, possibilitando o pagamento ao digitá-lo;
  8. Código de barras: cada boleto possui um código de barras único, bastando fazer a leitura através de um dispositivo para possibilitar o pagamento.

O que eu preciso saber antes de fazer um pagamento via boleto

Devido ao fato de ser um método de pagamento popular, o boleto bancário também é visado quando falamos sobre fraudes. Entretanto, ao tomar o devido cuidado e atenção, você não precisa se preocupar pois os boletos emitidos por empresas idôneas são extremamente seguros.

Uma das principais formas de golpes através deste método de pagamento são os boletos falsos. Levando isso em consideração, confira com atenção quem é o remetente dessa cobrança, seja através de e-mail, SMS ou envio físico. Caso tenha dúvida, procure um canal de contato oficial da empresa e questione se a cobrança foi realmente pertinente.

Caso a natureza do boleto seja decorrente de uma compra ou pagamento online, é improvável que haja algum problema no boleto. Neste caso, você precisa apenas se certificar se a empresa para a qual você quer destinar o pagamento é idônea.

A febre das bets e os boletos bancários

Falando sobre pagamentos online e idoneidade, é praticamente impossível falar sobre o fenômeno dos sites de apostas (também conhecidos como “bets”) devido à grande popularidade e fluxo de pagamentos que estes representam na internet brasileira atualmente.

Apesar de nenhum destes sites possuir sede no Brasil, o que deverá mudar futuramente com a regulamentação do setor, praticamente todos aceitam depósitos via boleto bancário e possuem convênios com instituições que fazem a intermediação destes pagamentos no Brasil.

O boleto bancário é uma das melhores maneiras de depositar em uma casa de apostas, todavia, a sua atenção neste caso se deve a escolher uma casa de apostas confiável que aceita boleto como forma de pagamento.

Vantagens de segurança em pagamentos via boleto

Apesar dos boletos bancários não serem o método de pagamento mais rápido quando comparamos com os cartões de crédito, PIX, carteiras eletrônicas etc. Boletos ainda oferecem importantes vantagens para o usuário:

  1. Inviolabilidade: pagamentos via boleto não podem ser clonados, desviados, roubados. Você também não corre risco de que a fonte de seu dinheiro seja violada; 
  2. Permite o uso do dinheiro físico: apesar das transações financeiras serem cada vez mais digitais, o uso do dinheiro físico ainda é importante para muitas pessoas. Através do boleto bancário, você pode realizar pagamentos para o mundo inteiro com dinheiro físico;
  3. Acessibilidade: para pagar um boleto, você não precisa dispor de nada além do valor da cobrança. Ele pode ser pago tanto em meios digitais, assim como físicos através de lotéricas, bancos, entre outras instituições autorizadas.

Boleto bancário x PIX

É verdade que a popularidade do PIX tende a crescer cada vez mais devido a sua praticidade e velocidade. Afinal, seus pagamentos e recebimentos são praticamente instantâneos. Entretanto, essa mesma praticidade pode ser o ponto fraco deste método de pagamento, pois a chave PIX pode ser simplesmente apenas um dos elementos a seguir:

  • CPF ou CNPJ;
  • Número de telefone;
  • E-mail;
  • Chave aleatória.

Ou seja, para os pagamentos via boleto bancário você possui diversas informações que validam e atestam a origem da cobrança, enquanto no PIX, você fica restrito a uma única chave (a qual dá acesso a algumas das informações do recebedor), o que exige atenção redobrada antes de fazer um pagamento.

Em caso de desacordo comercial, pagamento por engano ou qualquer outro problema do tipo, contestar um boleto costuma ser menos difícil do que um pagamento via PIX. Embora em ambos os casos seja possível fazer tal reivindicação.

Afinal de contas, não existe um método de pagamento melhor ou pior, mas mais ou menos adequado para algumas ocasiões. E, por fim, quem mais ganha com a cada vez maior oferta e concorrência entre métodos de pagamento somos nós consumidores.