Como está o mercado de e-commerce de pet shop no Brasil?

Como está o mercado de e-commerce de pet shop no Brasil?

Com a pandemia, o comércio digital para animais se destacou e cresceu mais de 65% em 2020. Vejamos como anda o mercado de pet shop no Brasil!

O Brasil é o terceiro maior mercado do mundo no nicho de animais de estimação. De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Pet Brasil, as lojas de “vizinhança” e de pequeno porte representam quase 50% do faturamento de toda a estrutura varejista do nicho. Com a pandemia, porém, esse cenário vem se transformando.

Boa parte dos comerciantes de itens pet se apoiaram no e-commerce para não fechar as portas. A liderança do comércio digital para  animais ainda é de lojas especializadas em varejo on-line (36% do faturamento), mas os pets de pequeno e médio porte também entraram no páreo, com um faturamento de R$466,2 milhões em 2020, o que representa 28,2% de todo o mercado pet on-line.

Esses resultados mostram que o segmento de animais de estimação é adaptável e ainda mais promissor do que se pensava. Se antes o nicho digital era dominado pelos grandes players, agora a concorrência fica mais acirrada.

No primeiro trimestre de 2020, mesmo com o isolamento social, as compras on-line do nicho subiram 65% comparando com números de 2019. Nessa estatística estão as mega lojas, os varejos exclusivamente on-line, os comércios de médio porte e as lojas de “vizinhança”.

A fatia das mega lojas on-line corresponde a apenas 8% do faturamento. Considerando o cenário de crescimento de 65% do e-commerce, os comerciantes de pequeno e médio porte ainda têm  muito o que explorar.

Quais são as outras projeções para o mercado brasileiro de pets?

Ainda de acordo com o Instituto Pet Brasil, o mercado nacional de animais de estimação movimentou mais de R$401 bilhões em 2020. A expectativa é que esses números subam 14% em 2021.

O cenário de consumo desse nicho tem um contexto interessante, pois 6 em  cada 10 lares brasileiros têm um cachorro. A porcentagem de pessoas que adota gatos também é alta, representando 28%, número maior que a média internacional.

Em relação ao futuro, a quantidade de pets por lares deve crescer ainda mais, Projeta-se um número 5% maior até 2023.

Já no e-commerce brasileiro, o segmento pet corresponde a um faturamento de R$2 bilhões, posicionando o nicho como o décimo primeiro  ticket médio de todas as vendas on-line.

Quais são os principais produtos do mercado pet?

Informações da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) mostram que os produtos caninos são os mais procurados pelos consumidores, seguidos de itens para aves e, depois, de  compras focadas em gatos e peixes.

A alimentação lidera a categoria de produtos mais vendidos, com 63% do faturamento do setor. Há uma tendência cada vez maior de procurar produtos orgânicos, além de vitaminas e suplementos.

Em segundo lugar, estão os serviços de banho e tosa, que correspondem a 17% do faturamento desse mercado. Hoje, esse produto já é consolidado e oferece opções confortáveis para o animal e para o tutor, como o transporte do animal  ou a realização do serviço em domicílio.

Logo em seguida, aparecem os acessórios e produtos de beleza, como coleiras, potes de rações, brinquedos, camas etc. Nesta categoria, a tendência é voltada para os produtos que proporcionam conforto aos animais e que também  são sustentáveis ou recicláveis.

Confira também: Como reduzir o prazo de entrega e obter satisfação do cliente?

Por fim, os medicamentos e produtos para a saúde correspondem a 7,8% do faturamento do mercado pet. Além dos remédios tradicionais receitados pelos médicos, esta categoria também pode incluir as terapias alternativas para animais, como massagem, fisioterapia, hidromassagem e outras.

Fredson

Fredson

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos